MERCADO PET: EMPRESA QUE FAZ!

 

A J.W. Laços e Gravatas, empresa fabricante de acessórios pet
conquistou recentemente o selo "RESSOCIALIZAÇÃO" que significa
para seus diretores o casal Wender e Oliana Lima um trabalho para
um futuro melhor para toda a sociedade.

A J.W é a primeira empresa do mercado PET a conquistar um SELO de
ressocialização. Mas, o que isso significa?

 

O que é o selo RESSOCIALIZAÇÃO?

 

O Brasil tem cerca de 607 mil detentos. Desses, 60% são condenados
pela Justiça e cumprem pena. Nesta condição, os que pretendem
reconstruir suas vidas têm como maior desafio conseguir um
trabalho. Por conta do estigma e muitas vezes do preconceito a
reinclusão dessas pessoas na sociedade é negada se tornando um
problema o qual atinge todos nós.

Assim, o selo RESSOCIALIZAÇÃO é um certificado concedido às
empresas que empregam detentos e, consequentemente, ressocializam
pelo trabalho que é, na verdade, tornar o homem capaz de viver em
sociedade, afirmando o pleno exercício de sua liberdade, personalidade e existência.
Esse instituto está previsto na Lei de Execução Penal brasileira,
cujo diploma é considerado um dos mais avançados do mundo e, se
cumprido, permite a reeducação de uma parcela significativa da população carcerária.

A J.W. nesse processo, acreditou e acredita que pode fazer mais,
fazer sua parte, para uma sociedade com menos preconceito e mais
dignidade pelo trabalho honesto.

Assim é com muito orgulho que J.W. apresenta a seus clientes,
parceiros e amigos o selo "RESSOCIALIZAÇÃO", certificação esta
conferida em decorrência do trabalho social feito na Penitenciária
feminina do Distrito Federal onde, desde 2013, já qualifica
profissionalmente como costureiras, modelistas, laceiras,
oportunizando trabalho digno para mais de cem detentas.

Por isso, orgulhosos e envaidecidos, a J.W. , diz: "nossos laços e
gravatas são muito mais que embelezar, que dar finalização ao
trabalho do profissional de estética animal, muito mais que um mimo
para pets que tanto amamos. É, OPORTUNIDADE, que uma mãe, mulher,
esposa e filha tem de voltar ao convívio da família, ao convívio
social, ao mercado de trabalho, buscar a liberdade e o direito a um
recomeço digno.

"Lembrem, sempre que colocar um laço, gravata ou acessórios J.W.,
no seu pet VOCÊ está dando cidadania a uma mulher".

Agradecimentos
Neste projeto, precisamos prestar nosso mais sincero agradecimento a
três mulheres que foram preponderantes nessa conquista: Kika
Menezes que plantou essa sementinha que germinou e hoje nos traz
frutos dos quais tanto nos orgulhamos; Dra. Deuzelita,

diretora da Penitenciária Feminina do DF, que
acreditou no projeto, vestiu a camisa e nos recebeu com tanto
carinho; Ivone, agente penitenciaria, que é muito gente e acompanha
diuturnamente todo o trabalho.

"Ser cidadão é ser errante. Para tentar acertar sua alma, erra seu
corpo. Se fosse para ser parado, não teria duas pernas e pés para
um mesmo e sempre caminho.
Gente é do mundo, não se sabe em confins, fronteiras, nem as
aceita por dentro, que dirá por fora."

 

(Cármem Lúcia Antunes Rocha)